Pinhal da Torre, 100% Syrah, Tejo, 2013

Parece ser um Syrah novo, mas não é! Este Syrah que agora se chama Pinhal da Torre, já se chamou Quinta de S. João e antes disso chamava-se Quinta do Alqueve. É a terceira vez que muda de formato e garrafa, assim como de rótulos. Será esta a melhor estratégia para dar a conhecer um Syrah e fidelizar consumidores? Temos muitas dúvidas! Só alguém do ramo e com atenção percebe que Quinta do Alqueve Syrah ou Quinta de S. João Syrah ou ainda Pinhal da Torre Syrah são na realidade Syrah provenientes da mesma casa que se chama Pinhal da Torre. Mas convenhamos: a grande maioria dos consumidores não sabe isto!

Mas vamos falar do mais importante que é o que está dentro da garrafa. Este Syrah da Pinhal da Torre 2013 tem uma graduação alcoólica de 14% e tem uma “cor vermelho rubi, intenso, concentrado, aspecto limpo. No nariz aparece elegante, fruta preta madura, notas de cacau, balsâmico e fresco, com notas tostadas leves e bem integradas. Na boca grande estrutura, cheio, com equilíbrio notável, cheio de fruta fresca, com elegância.”

A Pinhal da Torre fica situada em Alpiarça, em plena região do Tejo, e dedica-se à produção de vinhos a partir de várias castas portuguesas e não só. A Quinta de São João tem uma área de 22 hectares dos quais 19 são de vinha. Nela ficam localizados os escritórios, a Adega, onde são produzidos todos os vinhos, e a sala de barricas, inaugurada em 1947.

Desde a selecção das uvas, na vinha e na adega, e do método de vindima, que é totalmente manual, à poda em verde ou a hora da colheita das uvas, que ocorre somente nas horas mais amenas, para evitar que o calor afecte a qualidade das fermentações, todo o processo de produção é meticulosamente respeitado para poder proporcionar vinhos com sabor diferenciado e qualidade elevada. A adega dispõe de 4 lagares para pisa a pé, 7 cubas, tipo argelinas, únicas em Portugal pela sua arquitectura, cubas de fermentação para tintos e para brancos, todas com controlo de temperatura, duas salas para estágio em barricas e duas para estágio de garrafas, assim como uma linha de engarrafamento, rotulagem e embalagem.

O poeta, matemático e astrónomo iraniano do século XII, Omar Khayan, escreveu:
“Ouço dizer que os amantes do vinho serão castigados no inferno. Se os que amam o vinho e o amor vão para o inferno, o paraíso deve estar vazio.”
Apesar dos nomes sempre diferentes assim como garrafas e rótulos, o Syrah da Pinhal da Torre pode muito bem ser um dos responsáveis do paraíso estar vazio. Viva o inferno!

 

Classificação: 17/20                                           Preço: 28,50€


 

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.